The Family Space Forum

Ainda não está registado ou não está ligado! Registe-se ou faça o log in!


    Pais educados, filhos felizes

    Compartilhe
    avatar
    Admin A
    Admin
    Admin

    Feminino
    Número de Mensagens : 116
    Idade : 33
    Localização : Porto
    Número de Filhos : 1
    Avisos :
    0 / 1000 / 100

    Caixinha das Mamãs : 643
    Reputação : 1
    Data de inscrição : 13/05/2008

    aviso Pais educados, filhos felizes

    Mensagem por Admin A em Sex Jul 04 2008, 00:13

    Educar uma criança hoje em dia já não é o que era. Se antigamente o papel dos pais era de rigidez e violência, os loucos anos 70 trouxeram a revolução e inversão dos papéis.
    Os filhos passaram a ser o centro do universo dos pais, com estes a deixarem que a criança se "encontra-se" a si mesma, mas deixando-a, ao mesmo tempo, sem valores familiares. Permitir que uma criança cresça sem apoios, sem referências, pode ainda ser mais prejudicial do que a mais restrita ordem e severidade. Pelo menos aí, a criança sabe com o que conta.

    Nos nossos dias, é frequente deixar que fiquem horas seguidas frente ao televisor, até porque "é assim que ela fica sossegadinha". Mas sem as devidas explicações de um adulto, como é que pode uma criança perceber que as lutas do Dragon Ball não passam de fantasias, e que não existem verdadeiros Pokémons? É preciso que os pais compreendam que a televisão não ensina os valores morais, e que nem mesmo os filmes da Disney o podem fazer, porque também eles precisam de ser explicados. Antes da televisão, a educação das crianças era feita em parte por normas, em parte pela imitação do que as rodeava. Actualmente, a única imitação que podem realizar são as atitudes de bonecos animados e as tensões de pais demasiado cansados para darem atenção aos filhos.

    Mas se alguns podem culpar o governo pelos horários laborais, pelas horas que se passam numa paragem de um qualquer transporte público ou nas estradas condicionadas, e que pouco tempo deixam para estar com os filhos, também a forma como os pais se comportam em casa tem influência nas atitudes dos mais novos.

    E é essa atitude que necessita de alterações.

    Entre a permissividade que se viveu nos anos setenta, à rigidez dos anos anteriores, é necessário alcançar o equilíbrio, onde tanto os pais como os filhos têm direitos e deveres. Primeiro que tudo, deve evitar as discussões sobre a forma de educar com o seu parceiro, frente à criança. Esta é a melhor forma de ela se aperceber que, se discutem por causa dela, então pode manipular as coisas a seu favor. E nem pense que esta atitude só surge nas crianças mais velhas, porque assim que começam a aperceber-se do que se passa em seu redor, imediatamente as crianças começam a testar o seu poder.

    Outra atitude a evitar são as sensações de culpa. Se agora lhe disse que não podia ver mais televisão, não lhe vá pedir desculpas levando-lhe um bolo à cama. Esta situação também é válida para quando se esgotou a paciência e grita as suas ordens. Deve ter sempre em conta que uma atitude explicada calmamente, ajuda os pais e as crianças. Se lhe disser que ela vai ter mais sono de manhã se não se for deitar já, mesmo com alguma resistência, ela vai compreender, especialmente se acompanhar a ida para a cama com a leitura de uma história. Crie nisso um ritual, o que fará com que a criança deseje ir para a cama, de forma a poder partilhar esse tempo consigo.

    Acima de tudo escute sempre o seu filho, não o ouça apenas. Pequenas coisas podem revelar grandes problemas, quer seja na escola ou até com a ama ou colégio.

    Os sentimentos são as formas mais importantes do comportamento humano, por isso não podem ser negadas, ao dizer "não se chora", "eu também passei por isso" ou "isso não é motivo para tanto alarido".

    Frases como "É assim porque eu quero", "És mesmo estúpido", "Só queres chamar a atenção" ou mesmo ameaças, apenas levam a criança a sentir-se rejeitada ou a obter interpretações erradas acerca da autoridade paternal. É necessário que lhes transmita encorajamentos sinceros, de forma a que ele se auto-valorize.

    Deixe espaço para eles tomarem as suas decisões, e explique porque é que não podem fazer algo. Se ele costuma brincar com os fósforos, apenas mostrando-lhe o que estes podem fazer o vai levar a tomar a decisão de não o tornar a fazer.

    Ensine-os a pedir "por favor" e a dizer "obrigado", fazendo-o com eles, só assim a vão imitar.

    Um alegria das crianças é saberem que os pais compartilham alguns dos seus interesses, que não são apenas os tipos de hamburguers, mas também a música, os livros ou mesmo os desenhos animados. Saber o nome de alguns dos Pokemóns pode ajudar.

    E acima de tudo tenha em conta que o que fizer hoje vai, não só ajudar a criança no futuro, como também construir a sua personalidade e o seu papel no mundo. Nada tão certo como o velho ditado: "Filho és, pai serás, como fizeres, assim acharás".


    _________________
    Frase: Respeitar para ser respeitado!
    Admin

      Data/hora atual: Sex Jul 21 2017, 13:34